Porto Alegre Cycle Chic entrevista: ruiva e Sarah

A bicicleta já fez idas e vindas na vida da Janaísa Cardoso. Mas, dessa última vez, a aproximação garante não ser temporária, já que trouxe lindos frutos para essa ruiva, inclusive um novo amor.

DebDorneles_Janaisa_2013A Ísa, como é chamada pelos amigos, é responsável por uma página supercriativa no Facebook, a Bicicletários Imaginários, desde Maio do ano passado.

Na época, a bike estava entrando, novamente, com força total em seu cotidiano e, quando numa passadinha ao supermercado, tudo começou. Ao tentar deixar sua magrela estacionada, percebeu que não havia nenhum local adequado.

Então, essa artista plástica revoltou-se e decidiu tirar algo útil dessa indignação. Registrou o ocorrido, sabendo que logo mais encontraria uma solução sobre como usar essa imagem. Pensando um pouco, entre outras ideias na cabeça, pintou a Bicicletários Imaginários, uma maneira de reportar com cor e com graça a situação precária de possibilidades seguras para deixar a bici na cidade, exigindo criatividade e um olhar lúdico dos ciclistas.

Desde então, com fotos coloridas e textos carinhosos, na rede social ou no seu blog, a Ísa segue contando essas histórias, tão reais quanto fantásticas, de locais que são, ou poderiam ser, estacionamentos para seus veículos preferidos.

DebDorneles20130710DSC_1835Tanto que ela relata que o pedal muda vidas. Disse que, depois que se abriu de verdade para a volta de sua faceta ciclista, muitas coisas boas aconteceram. Inclusive, foi por causa do blog que um admirador se aproximou dela. Os dois fizeram amizade e, mais tarde, começaram a namorar. O que era uma pedalada com o amigo Thiago se tornou algo mais, e hoje é um grande amor. O casal curte pedalar juntos aos finais de semana e ir na Massa Crítica, e sugerem uma pedalada até Ipanema como uma das mais bonitas a se fazer em Porto Alegre.

Quando perguntei pra Janaísa o que era a bicicleta na sua vida, ela respondeu: “Minha religião”. E, de fato, a Ísa trabalha em uma loja de bicis, tem uma tatuagem de uma ciclista no braço e uma coleção invejável de melhores amigas. Conheça elas agora, em detalhes das fotos da proprietária dessas lindas:

Janaísa_ColeçãoSARAH: Homenagem a Sarah Bernhardt, que inspirava e posava para artistas no século XIX , inclusive para o Alphonse Mucha, de quem é a arte de sua tatuagem. É uma bicicleta urbana da década de 70, transformada em speed-torpedo/Caloi Peri, adquirida em Outubro 2012, e que a acompanha aqui no Porto Alegre Cycle Chic.

KAMEL: Montain Bike Sundown Kamel, adquirida em janeiro 1996.

PEQUENA MISS SUNSHINE: Bicicleta infantil feminina estilo passeio, da marca Caloi, modelo Cecizinha, adquirida em Julho 2012, que agora pertence ao querido amigo Rafael Barcelos.

FRIDA: Bicicleta feminina estilo passeio da década de 90, Monark Brisa, adquirida em Abril de 2013.

ÍSIS, A DEUSA DO AMOR: Speed da Vicini, que começou a montar também em Abril de 2013, para participar de competições.

E a Ísa garante que o pedal abre caminhos, liga as pessoas que se identificam por meio dele e cria um contato acolhedor entre as mesmas. Ela lembra de como foi bem recebida desde os primeiros encontros de que participou na Cidade da Bicicleta, dos amigos que fez, e que até acabou participando da fundação da Mobicidade, ao acaso, o que conta rindo, enquanto divide essa memória.

DebDorneles20130710DSC_1851Perguntinha final para a Ísa, antes de voltar para a rua e fotografá-la com a Sarah: Com qual roupa você mais gosta de pedalar e acredita que combina com o cycle chic? A resposta, “Bermuda, meia-calça e polaina, sem dúvida”.

Encontro colorido e feliz com essa artista/ciclista – ou seria ciclista/artista? Quem quiser uma consultoria para comprar uma bike com essa apaixonada pelo pedal é só dar um pulo na Gaúcha Bike, que ela garante atender com atenção, felicidade e satisfação, para ajudar a encontrar a companheira ideal para sua necessidade, sonhos ou aventuras.

DebDorneles20130710DSC_1867

Anúncios

Sobre Deb Dorneles

Em meus diferentes momentos de sentir, gosto de recortar a realidade, abrir pequenas janelas para o que vejo, e fechar portas para o que quero deixar lá fora. Percebo algo muito natural e delicado no que observo, e faço registros desses olhares externos para que reflitam o que se passa internamente. Há um tempo passando, há vida acontecendo, há uma perecividade de que fugimos, e as fotografias podem nos fazer escapar disso, congelando, protegendo, iludindo. Ou servir de lembretes de nossa mortalidade, interpretando, revelando, expondo, como em um sonho bom ou nem tanto. Gosto de brincar com essas forças e provocar a mim mesma com suas diferentes possibilidades. Faço imagens para que entretenham-me e não me deixem esquecer. Embelezo a angústia e simplifico a alegria, assim continuo respirando, avançando, sendo. ♕
Esse post foi publicado em Dia de semana, Entrevista e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Porto Alegre Cycle Chic entrevista: ruiva e Sarah

  1. Roseclér Maria Cardoso disse:

    Muito lindo o texto. A Isa merece. É uma artista/ciclista ou ciclista/artista que merece um impulso grande na vida. Merece o carinho, a amizade e a admiração de todos nós. Bola pra frente Ísa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s